Tuesday, April 25, 2006

When it feels right... maybe it is right...

[downtown. tegan and sara]


E foi assim que foi e tenho (temos) consciência que foi apenas acontecendo. Foi sendo. E foi assim que foi. Dia após dia e noite após noite. Foram dúvidas e perguntas minhas (tuas). Avisos meus (teus). Alertas de dentro e de fora. Sem travões. Sem paragens (desnecessárias). Rápido (demais?). Foi a velocidade natural das coisas, dos acontecimentos. Verdades na minha (tua) cabeça. Factos conhecidos sobre (des)conhecidos. Avisos, avisos.

[getaway car. audioslave]

Sentimentos automáticos. Daqueles que se instalam sem nós darmos por eles. E quando vimos já estão tão presentes que só sabemos senti-los. Sem perguntas. Porque é para isso que os sentimentos foram feitos. Para serem sentidos. Batida por batida. Dedos entrelaçados. Provas e mais provas. Dúvidas, dúvidas. Mas, havia (há) algo mais. Sentimentos. Que apareceram de mansinho. Apareciam de manhã, antes de adormecer. E depois, ao acordar. Lá estavam eles, a avisar que havia (há) algo mais. Partidas do pensamento. Partidas do destino. Partidas. O tempo certo das coisas. É assim que dizem. Que cada coisa tem o seu tempo certo. Que as coisas acontecem quando têm que acontecer. Que, que, que... justificações atrás de justificações a tentar justificar o que não pode ser justificado. Bocas abertas. Dúvidas daquelas que são para serem sentidas, mas apenas estão lá. Não se sentem, mas elas estão lá na mesma.

[landing in london. 3 doors down]

Elas avisam-nos dos perigos, mas acho que só valem de alguma coisa quando são sentidas. Acho, acho. Saberes sem saber porquê. Ficar naquela do apenas saber. Porque sei. Sem perguntas. Para quê perguntar? E se's que ficam assim. Pendurados no ar. Na expectativa de respostas que não são procuradas. Não se quer saber delas. Porque não fazem parte do leque dos sentimentos. Segue o teu coração, disseste tu, está quase sempre certo. É assim, não é? Seguir o que se sente, porque o que sentimos está correcto. Não é? Every single second, disseste tu. E eu, eu, eu, eu não poderia concordar mais. Eu, eu, eu. Porque sou que importa, não sou? Eu, eu, eu para o nós. Nós, nós, nós. Nós dois. Só nós dois.

[here by me. 3 doors down]

Eu, eu, eu, eu. Porque me apego muito, porque me dou muito (demasiado??) e porque vocês são (muito) importantes e quero que vejam como eu vejo. Só um bocadinho. Ele fez a minha gaja voltar, disseste tu. Sim, voltei. E queria que todos percebessem isso. E ao mesmo tempo, entento cada aviso vosso. No vosso lugar, faria o mesmo. Preocupação de amigo é aquela coisa. Eu sei. Mas apesar dos vossos avisos, há sempre uma coisa na qual todos concordam, porque não há quem possa duvidar. Feliz, feliz. Muito, muito. E vocês vêm isso. Eu sei que sim. E eu sei que é isso que vos faz "calar".

[letting the cables sleep. bush]

Porque por muito certos que vocês possam estar, mais certa estou eu (estamos nós) do que sinto (sentimos).

[mandas mensagem e fujo para os teus braços...]




[black. pearl jam. ao vivo. portugal]

E a tua mensagem quando eu estava a escrever aquilo. E eu fujo para os teus braços. Para os teus braços. Não, não tenho dúvidas. Nos teus braços. Onde as dúvidas acabam e as certezas começam. Onde sabe a certo. Nos teus braços. Contigo. Onde as dúvidas acabam e as certezas começam. Porque é assim que é. E é assim que tem que ser. E eu fujo a sério, e tu vens a sério. Provas, provas. E porque as dúvidas nunca foram sentidas. Provas, provas.

E eu não quero nada mais, nada menos do que isto, do que tu.

Do que tu e este sentimento bom que me fazes sentir. E este sorriso constante que me pões nos lábios.

Eu também. Eu também. Eu também. Muito, muito.

[is yesterday, tomorrow, today? stereophonics]

Muito mesmo.


Nos teus braços, onde me sinto em casa...




5 comments:

xary said...

isto pode parecer muito céptico (e não contigo mas no geral) mas às vezes os sentimentos iludem. e não estou a dizer que é o teu caso ou assim lol apenas a constatar que o maybe do teu título tem duas faces. maybe it is and maybe it isn't. claro que o mais provável é is e nem sei porque estou com esta conversa da treta mas talvez sejam os meus travões a falar.

agora o que não pode ficar por dizer e já to disse em conversa é que amigo é assim (e ainda bem) e tu sabe-lo. amigo preocupa-se. amigo quer ver o outro bem, feliz, seguro. quer ter a certeza. às vezes precisa da certeza a dobrar. porque amigo é assim. não quer ver sofrimento. não quer dizer i told you so ou algo assim. e se tu o sentes já é caminho palminhado para a tal certeza. tu é que estás por dentro. tu é que estás com quem estás. amigo vê de fora. os alarmes soam todos. a rede de salvação fica logo estendida. se gostas da velocidade a que vais, continua. aproveita. sentimentos são para ser sentidos, sem dúvida. pensar ilude tanto como alguns sentimentos por vezes. mas são ambos direitos que temos :)

amigo é amigo.
sentimento é sentimento.
rápido ou lento demais, o que importa é se é esse o teu ritmo. se estás confortável assim. e parece-me que sim ;)

beijo grande linda*

(big hug)

Tati said...

epa...nem sei porque estou a comentar...já te disse tudo, so me vou repetir...
epa eu não percebo pevas dessas cenas ja sabes mas acho q s é o teu tempo ninguém tem nda a ver com isso. desd k tejas semp c os pes no chao td bm e sejas consciente faz akilo k achares o correcto e caga nos outs...ok nao cagues nos outs mas não precisas d fikar nesse stress tdo k fikast.
faz akilo k achares melhor pa ti. podes ouvir os conselhos ds outs mas a decisao ha d ser smp tua. so tua.

Sari said...

exactamente (concordo ctg, concordo com a minha homonima)

s eh tão bom e s eh tão real para ti e para ele... deixem-se continuar.

:) beijinhos***

joana said...

realmente, para quê comentar?! estou perfeitamente "calada"... (lagriminha no canto do olho)

a posição será (quase) sempre semelhante àquelas femeas que observam as crias a aventurarem-se sozinhas no mundo, smp vigilantes (a metafora n é das melhores, mas percebe-se!)...

olha, shakespeare pa ti: "If thou dost love fair Hero, cherish it" ;)

*********************************

sancie said...

Screw the doubts :)

what good did they ever do to anyone?

Like Knox said (oh, god, was that his name?) "Carpe Diem!... Even if it kills me" ;)