Monday, April 03, 2006

Present in the Past

Dia de Sol. Outra vez. Leituras no quintal. Aproveitar o bom tempo. Há muito tempo que não ia para o quintal. Ler no quintal.

O barulho da mota. Deve ser o teu avô. Nunca mais andaste de mota. Espero. Oiço. Passas por mim. Caras espantadas. Sorriso enorme. Adeus. E passaste.

Vícios nossos que não fazíamos há imenso tempo. Fizemos hoje. Os dois.


E eu fui avisar o Diogo que já estou em casa. Passo pela tua casa. Carro à porta. Será que estás lá? Será que hoje saíste de mota? Não sei. Tenho vontade de entrar. O teu avô está no quintal. Não entro. Sigo para minha casa. Subo as minhas escadas e olho para a tua casa. Para a tua casa.


:) ...

2 comments:

xary said...

present tense. makes more sense ;)

porque há coisas do passado que estão realmente sempre presentes. que aliás nunca foram consideradas algo lá atrás, apenas suspensas, à espreita da próxima oportunidade para se fazerem sentir/viver :)

beijo grande*

(ler ao sol, já há muito que não o faço. ver se começo a aproveitar a minha varandita também ;P)

joana said...

aki varanda para ler não há, mas não troco a minha lisboa por nada! inda para mais se o prémio de consolação for o barulhinho os espanta-espiritos no meu quarto, quando entra uma brisa na hora da siesta!

pois é, vou manter o meu voto de silencio e não me pronunciar sobre a relação com ele, e pessoas que regressam à nossa sem percebermos sequer porque terão saído (ou melhor, porque as deixámos sair), enfim, axo k a tua descrição vale por tudo ;)

**************************************