Friday, March 17, 2006

Outra vez

E lá estávamos nós todos (outra vez). As mesmas caras (outra vez). A chorar (outra vez). Aquela tristeza espelhada no rosto (outra vez). Unidos (outra vez). Uma pessoa, duas pessoas, três pessoas, tantas pessoas, as mesmas pessoas (outra vez). Lágrimas que caem (outra vez). Expressões que dizem "vai-se andando" (outra vez). Olhos que estão fartos disto e não querem estar ali (outra vez).

Olhei para o Elias. Carinhoso com a irmã. Atencioso. Mas calei-me. Transmissão de pensamento. A minha mana virou-se para mim e disse "O Elias é mesmo querido". Sorri. Estava mesmo a pensar nisso.

As perguntas (outra vez). Como vão as coisas? Vão indo. Cá estamos (outra vez). Encolhe-se os ombros (outra vez) e deseja-se por melhores dias (outra vez). Lágrimas (outra vez). Já nem se controlam. E onde ficam as coisas boas? Lá fora (outra vez). Aqui não há lugar para elas. Não aqui. Aqui só há dor e lágrimas (outra vez). E uma família reunida (outra vez) em redor do mesmo. Os olhares não param de circular. Poucos poisam sobre o corpo. Alguns de lá não o desviam.

E dão-se mãos e fazem-se festas nas costas, ombros e braços (outra vez). E dão-se abraços (outra vez), e de alguma maneira queremos esquecer, mas sabemos que é impossível. Agora não somos nós que importamos. Isso, faz-te forte para os outros (outra vez). Assim é com a minha geração. E engole as putas das lágrimas (outra vez) para que não te vejam chorar e fraquejar. Foda-se, tu não chores! Não és tu que importas e há quem precise de ti. A Andreia percebeu. Aproximou-se. Encostou a minha cabeça no ombro dela. Já resolveste o problema da luz? Mudei de assunto. Já, era uma tomada na casa-de-banho. Sorri. Ainda bem que isso está resolvido.

E levantamo-nos e todos rezam e oram, mas eu não. Dantes ainda dizia o Pai Nosso e a Avé Maria. Agora já nem isso. Eu não. E encomenda-se António da Conceição Silva. E chora-se (outra vez).

Fui com a minha irmã. Ela estava sozinha. Acho que o Pedro só o viu no casamento.


Obrigada por teres avisado a minha Adriana.
De nada, tia.


Funeral.


eu: vêm ao casamento da andreia?
tia glória: a vontade não é nenhuma.
eu: eu sei, tia. mas que culpa é que ela tem?
tia glória: eu sei, filha... tens razão...
eu: ela tem feito as coisas com tanto gosto. e gostava tanto que vocês viessem...
tia glória: a tia sabe. e ela coitada também tem passado um bom bocado. mas a ti se vier é mesmo sem vontade.
eu: eu sei que é complicado, tia, mas era um gosto que faziam a ela. ela ja tinha tudo preparado... se nos juntamos para as coisas más, também nos juntamos para as boas né?
tia glória: eu sei, filha...



boas viagens (outra vez)
beijinhos aos meninos do Elias, da Isabel (outra vez). não deu para despedir de toda a gente.


E chega-se a casa, e o que se sente é um mal estar geral (outra vez). Escreve-se e ouve-se música. Alivia. Aquilo é como um nada comparado com isto. The humam heart does not bear everything...

4 comments:

xary said...

situações tão complicadas, tão frágeis e tu não sei, apesar de tudo, transmites bem o que a situação implica.

que seja este o limite. chega de tristezas. e de adeus. por uns tempos (looongos, muito longos).

"the human heart does not bear everything". indeed, sweet bee, indeed it doesn't. so why do people act like it does?

beijo grande*

here.

sancie said...

so many goodbyes, so many tears, there's just so much one can bear...

i second xary on her wishes. no more. for the longest time.

a world of kisses*****************

joana said...

e cá estamos nós comentadoras (outra vez e sem enfado), os emplastros da consolação (ja sabes - BING)

It all must seem like a huge blur...

e agora apenas penso (porque eu nestas alturas só sei pensar em coisas pequenas) que pelo menos tens o "feel like home" para me substituir (e como essa musica conforta...)

queria dizer piadas, mas parecem-me de mau gosto (dizer que agora não há carpideira doida a desmaiar, ou que pelo menos a tua mãe não enfiou o pé na cova...)

love even when I'm stupid***********

Tati said...

joana diz:«e cá estamos nós comentadoras (outra vez e sem enfado), os emplastros da consolação (ja sabes - BING)»
sim tu sabes isso mas é sempre bom ouvir ne?
yet I don't know what more to say.
para qué dizer mais alguma coisa. já ouviste tudo. as palavras não chegam. falta-te o sentimento. a alma fulfilled, né? esse ambiente negro, essas nuvens...em breve irão embora...deixa-as partir.
já chega de pensares nisso...chega de pensares...não!
deixa tudo sair e ir embora, depois cabeça erguida, não como orgulho, não como quem diz que é forte mas cabeça erguida de quem já tropeçou, caiu e agora se levanta.
chegou o tempo de seguir caminho...go bee...cause it's your time to step forward...you,beegirl,you.