Sunday, September 24, 2006

tic - tac...

"Part of the philosophy of yoga is that we can't always change the world around us. No matter what we do, bad things will happen and stressful situations will arise. The only thing we have control over - the only thing we can change - is ourselves. We can decide how to react to situations that challenge us. Will we allow them to throw us off centre, or will we take them in stride?"


esta raiva que já começava a controlar. aquele nozinho na garganta já tão (demasiado) familiar. desespero, até. decisões que me cabem a mim. mas não me afectam só a mim. não sou boa nisso. não sou boa a arriscar perder uma noite contigo. pensar. pensar. o que é que podes fazer? pensar. e depois a outra questão: será que podes mesmo fazer? posso, claro. mas estás mesmo disposta a arriscar a ficar sem nada. não, não estou. parte da decisão está tomada. mas não era assim que eu queria.

ultimamente começa a haver demasiada coisa que não é como eu queria. e não entendo os seus porquês tal como o outro lado não entende (ou nem tenta entender) os meus. começo a ficar cansada. farta. tremo quando novos planos surgem. será que os posso realizar? será que me deixam? e fico tão cansada das mesmas conversas. dos mesmos comentários. dos riscos. dos "não sei". dos "será". estou farta. farta. farta.


um dia
um dia

isto explode.


e aí, ou ganho muito, ou perco tudo.


mas um dia, isto explode.


i choose us...


6 comments:

joana said...

ui menina que a coisa tá preta!

acho que adivinho o problema, mas prefiro nao arriscar meter a pata na poça e ir plo caminho sabiamente global ;P

na vida é preciso arriscar, mas mais importante é preciso saber quando ficar quieto. porque ha batalhas que nao vale a pena travar. saem(-nos) muito caras. o melhor é jogar plo seguro (porque o seguro morreu de velho!). dar tempo ao tempo, dar um passo para tras para depois dar dois para a frente. ha pessoas que nos sai caro desafiar, é terreno perigoso, o melhor é seguir a corrente de vez em quando (ou como dizia uma das gargulas do corcunda: "da-lhe linha e dps puxa, dá-lhe linha e dps puxa, dá-lhe linh BONK!)

vais ver que é pelo melhor. e uma noite, por muito que custe agora, parece um preço aceitavel para depois puderes ter muitas outras. nao serão ESSA noite que ja esperavas e com a qual ja contavas, mas poderão e serão igualmente especiais.

quanto a explodir, agora tacticamente falando é uma má altura para explodir, isso quando mais tarde melhor para ti. nao estou a dizer k deves manter essa angustia e raiva a apodrecer dentro de ti, plo contrario. descarrega de outra forma. descarrega em mim!, descarrega em quem te sintas mais confortavel, descarrega num jornal, numa almofada, no blog, num caderno escondido dos outros... olha, ioga e pranayama!

pensa que de vez em quando todos temos que engolir alguns sapos (pah, n consigo n usar o raio da palavra!!). vais ver que amanha, depois do banho tomado e de um cafe de viena na caneca gay/floribella as coisas vão parecer menos agressivas e que o que fizeste foi plo melhor ;)

******************************************************************************************************************** (hug! and big BING!)

sancie said...

I hate Manata's advise. It's good, make no mistake, it's the wisest you'll get. But I hate it just the same.

There's no use in exploding, that's for sure. do that and u'll hit a wall and it'll be worse than before, if i know anything about parents. But walls can be circled around or jumped over. It takes patience, and skill, and lots of cookies filled with chocolaty goodness for when it doesn't pay off (and maybe a ladder), but it can be done.

U just gotta figure out a way ;)

********************

joana said...

yyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyoga (ja ta bem assim?)

bom, quando eu digo "explodir" (isto relativamente ao comentario da ines) nao quero dizer com os pais (what kind of advice would that be?? la pk eu ando smp às turras com o meu nao ker dizer k aconselhe os outros a fazer o mesmo, ate pk o meu caso é bem diferente!). eu quero dizer descarregar noutro lado. ate pode ser a tentar passar uma borracha sobre o assunto com uma caneca de chá, ou umas horinhas de leitura, simplesmente nao acho que isso funcione. mas eu falo por experiencia propria! eu tenho um tanquezinho pekenito, nao consigo manter muita coisa cá dentro, por isso o melhor para mim é deitar logo tudo fora. esperneio dentro no meu quarto ou venho falar com voces para descarregar a historia, ou danço ate cair para o lado.

mas isto cada caso é um caso. o que tu tens de fazer é descobrir a forma mais correcta de nao deixares nada entalado dentro de ti, porque melhor que eu, deves saber que essa energia presa ai dentro nao te faz nada bem. porque mais vale pequenas explosões controladas do que um dia perderes o controlo e partires a loiça toda! (basicamente o que ambas queremos dizer é para arranjares uma forma de contornares a situação)

********************************

eli said...

bem... deixa lá ver o que posso dizer...
já se sabe que a vida não corre sempre como nós queremos, mas cabe-nos dar-lhe a volta sabendo que corremos sempre certos riscos, mas quem arrisca não petisca...
go with the flow....
*****

xary said...

essa tendência de teimar em acreditar que podemos mudar as coisas. podemos mudar os outros. mas não. corre tudo fora de nós. a um ritmo diferente, quase descompassado daquele que nos motiva.

percebo essa raiva. percebo essa tua vontade de abrir as asas e deixar-te voar por céus mais abertos. mas talvez ainda demore para que te deixem sair da gaiola. e entretanto vais cantarolando, notas de esperança. de paciência. porque tem de ser assim por uns tempos mais. e talvez lançar essas notas a ouvidos moucos. pode ser que um dia te ouçam. ou consigas abrir a gaiola por ti mesma.´

but it is sad that it might include a choice. but what needs to be done it's what needs to be done. whatever your heart sings. sing along with it. when the time is right. e nem sempre o tempo correcto é aquele que mais nos convém. ou que convém aos outros, for that matter.

beijo grande

força [] :) *****

anokas said...

we are all afraid. sometimes things are too grey, yes. just don't let'em consume u to the bone.