Thursday, May 11, 2006

Some words are better left unsaid

[remy zero. gramarye]


Às vezes sei que se abrisse a boca para dizer o que penso ou o que sinto, estaria a abusar. A pisar num território que não me pertence. A meter-me onde não sou chamada. Limito-me a mim mesma. Detail: sou demasiado transparente para que não seja visível quando alguma coisa me desagrada. Detail: mentalizo-me e repito frases mentalmente, para me ajudar a pôr no meu lugar.

[remy zero. hollow]

Às vezes sei que se abrisse a boca para dizer o que penso ou o que sinto, irias olhar para mim, sorrir muito (como aquele sorriso) e beijar-me-ias. Apenas sei. Mas não. Há coisas que (por agora) ficam melhor guardadas. À espera de certezas.
Medo. Muito medo mesmo. Por mim, mas sobretudo por ti. Promessas que fiz a mim, e (secretamente) por ti. O passo é muito grande. Para mim é. Implica muita coisa (mesmo).
A dúvida reside em mim. Deixo-a estar. Não me (te) faz mal.

Ficamos assim.

Começo não, já pico.

[remy zero. hermes bird]

Tenho alguns segredos. Segredos que sabes que tenho, mas que não tens a certeza como se desvendam. Acho eu. Surpreendes-me mesmo quando não quero.

By the way, tenho um segredo para te contar.... em privado... segredo-te ao ouvido e tu já sabes o que é. Como podias (podes) não saber?


Chiu... segredo, segredo...



it's so easy...



2 comments:

Tati said...

esse título é me familiar, acho que é duma música mas não me lembro qual.
pois...não disseste grande coisa que eu ja não tivesse notado lol...
mas és tu´e se tás bem assim é assim que deves estar, quando chegar a altura em que nem ventos nem marés te impeçam de gritar akela palavrinha(ona) chega, ate la aproveita o que tens de melhor em cada horinha.

xary said...

amor é um saltar constante sem rede que nos salve. just in case. we just keep on jumping forward. into those arms. vale a pena. e nem sempre custa. olhos abertos, vento na face após o impulso. e aquele abraço a apanhar-nos.

e realmente, palavras para quê? :)

beijo grande*