Monday, May 08, 2006

O do nome fateloso de novelas brasileiras...

[don't kill me tonight. di-rect]

Gosto-te.

Penso em tudo. Neste nada que temos vivido. Neste todo que têm sido estas últimas 5 semanas. Penso em ti. E naquilo que és. Penso no tanto que és. Sorriso, sorriso. Palavras, palavras. Gestos, gestos. E agora que foi outra vez, já to disse, e só to vou dizer a ti. Não quero voltar a viver aquilo, a passar por aquilo. Aperto no peito. Queria que aqui estivesses. E sei exactamente o que fazer para te trazer para perto de mim. Mas não o faço. Descansa, descansa. Meu feioso.

Gosto-te.

Sério, sério? A ver vamos. Porque não? penso eu. É cedo. Tão cedo. Temos muito tempo pela fente. Não é por tudo ter começado tão depressa que tem de ser tudo a correr.

É o chegar a casa e ainda sentir o teu cheiro. Ainda te sentir. É começar a sentir aquele conforto, aquela segurança, aquela normalidade estranha que tanto gosto. É quando estamos constantemente a implicar um com um outro. Relação estranha. Mas gosto daquele conforto. Aquele que sinto quando pões a teu braço à volta da minha cintura e eu agarro a tua mão, e ficamos assim. Mas não por muito tempo. Mas é aí. É quando me olhas. É especialmente quando achas que duvido de alguma coisa e me agarras na cara obrigando-me a olhar directamente para ti, e olhas-me nos olhos até acreditares que eu não estou a duvidar.

É quando estamos juntos e falas na paz e calma que o meu rosto transparece. Só quando estou contigo, respondo eu. Caso contrário, mais pessoas o diriam. E o adormecer ao teu lado no comboio, encostada ao teu peito. Coisa que só aconteceu uma vez, mas que a senti tão, tão natural. É tu seres a única pessoa que consegue mesmo impedir-me de comprar livros. Ou até como disse a Tati, finalmente alguém que te mande ir dormir! Não que eu obedeça, claro! Aí já seria esperar demais!


E é basicamente isto: i'm falling even more in love with you.



É isto. Assim. That simple.



[don't kill me tonight. di-rect]



there's a reason to believe in you and me...




3 comments:

xary said...

impedir-te de comprar livros? man, he's got the power! ;)

é bom né? essa naturalidade. a simplicidade de tudo isso. tudo calhar no sítio certo e as mãos encontrarem-se uma na outra porque sim, porque não haveria outra maneira de ser.

beijo grande* :)

(quando souber que te apanho pela faculdade juro que levo a pen comigo, tenho ido para lá só para o 'essencial' and the rest hasn't been easy.)

amai, muito, muito. amai :)

Tati said...

epa mas devias obedecer-lhe ya?
vai mas é dormir oh!
acorda com a espertina mas depois é um ver se te havias...andas a dormir fora de horas! menina mal comportada!

joana said...

é muito mel!... muito, muito mel, bee (freakish!)... and that's just wrong(?)/right(?)... ;P

continuarei com a minha mini "campanha" (u know the word...)

ker dizer anda uma pessoa a fazer figas com todos os dedos que tem e esta gaja sem fazer nada calha-lhe um destes na rifa!...a justiça tarda mas não falha! inda vou ter um garalhão k saia dançar! ;P

***************************************