Saturday, December 13, 2008

aula de yoga #2

entrei no caminho do Yoga e do "Orientalismo" há alguns anos. já nem sei bem porquê. penso que a cultura sempre me fascinou (e fascina). mas acredito que foi mais do que isso. penso que queria descobrir os limites de mim, físicos e mentais. agora comecei a dar passos de gente crescida em direcção a esse conhecimento; não tenho mais dias para dormir até tarde. integrei o Yoga nos meus dias e na minha vida. também já não sei muito bem porque o faço. faço-o a meio da tarde quando me sinto cansada, faço-o à noite para relaxar, ou faço-o de manhã para esticar o corpo. a verdade é que faço por todos os motivos e por nenhuns motivos. agrada-me o sentimento de possibilidade que esta prática me proporciona; é possível fazer mais com o meu corpo e gosto de pensar que essa ginástica acaba por tornar-se mental e emocional. gosto de saber quais os pensamentos que me invadem quando estou mais relaxada e quais os sentimentos que esses pensamentos provocam. e talvez por isso, me tenha sentido mais em contacto com os meus medos, com as minhas alegrias e com as minhas fantasias. para mim, Yoga tem-se tonado isto: saber-me em mim. e é isto que me faz acordar cedo aos fins-de-semana; a certeza de que bom ou mau, o resultado é a minha presença total na minha pessoa.

e no fundo, não há posição mais difícil de alcançar.

1 comments:

xary said...

queres é estar na moda, é o que é. :P

e acho que a conclusão que deste ao texto (e ao porquê de 'yogares') é a coisa mais verdadeira. não é de todo a posição mais fácil mas praticar para a atingir ajuda um bocadinho. :)

[ ] ***