Saturday, February 25, 2006

Old and new memories

A ouvir The Long Road (again). E para trás tudo o que fica são sorrisos, momentos bons, coisas alegres. Para a frente esperam-me sorrisos, momentos bons, coisas alegres. Bom, não é? À minha volta, como se para onde quer que olhasse não tivesse nada que me deixe minimamente "não bem". Mas apertam-me as lembranças que me deixam uma sensação de double-feeling. E o novo que se constrói continua assim, como eu o quero, e como era esperado que ele fosse. Mas mesmo assim, ainda me consegue surpreender. Como tudo mudou e com essa mudança, absolutamente nada mudou (I changed by not changing at all...). E foi (é) assim. E passam-me tantas coisas pela cabeça que poderia dizer para descrever isto, mas não sei se não consigo achar as palavras ou se as quero pôr por escrito...

Como a vontade de rir, gritar, descarregar, partilhar, e até chorar se mantém, como sempre foi. Como é. E os gestos mantém-se. Not one single regret. Not one. Só por isto e por aquilo (segredos meus) vale(u) tudo a pena.

E voltei a lê-lo. Aliás, durante um dia não o larguei (e tenho testemunhas!!). E nas últimas páginas encontrei aquilo que disse a algumas pessoas, que não me saía da cabeça, que é verdade e que não fazia a mínima ideia que estava lá "(...) o que já era mais que sabido e é que estávamos condenados a entender-nos (...)"e fez clique! Cheguei à última folha, à última página, à última linha, à última palavra e pensei que poderia recomeçar a lê-lo naquele mesmo instante, mas não. Não é assim com ele. Mas voltar a rir, a sorrir e a chorar com ele...foi...bem, tinham que ser eu e que lê-lo para compreenderem!

E bom, bom é olhar para trás e sorrir, olhar para agora e sorrir e olhar para amanhã e sorrir. Mesmo com aquilo que às vezes sinto e que, pelo menos agora, ainda não consigo deixar de sentir, gosto de olhar. E lembrar. Aqui e ali. Pequenos, às vezes grandes, momentos. Gestos, palavras. Sinceramente, não tem grande importância. All the memories going 'round.

E sorrio. E relembro. E agradeço. Porque sim (esta aprendi contigo ;) ).

Sorrio. We all walk the long road.


E apesar das partidas do meu sub-consciente (Agnes, you know...), the sun will rise another day. The brightest.



6 comments:

joana said...

lindo!

está é uma das (muitas) coisas que te torna tão especial - a capacidade de explicar as coisas e de te mostrares de forma tão agradavel e "soft" e não menos verdadeira.

não te quero rotular,... dizer que o post é de um saudosismo real e bem-disposto e ao mesmo tempo de uma esperança sem pressa parece-me obrigatório, mas rotular-te seria limitar-te, por isso "apenas" gostei (muito mesmo).

gostaria de fazer o mesmo, mas comigo seria um pieguice pegada...

bjokas

Tati said...

no comments...
memories...diz tudo.

a maneira como escreveste...não poderia ter sido melhor...

xary said...

i couldn't have said it better.

e acho que é essa aprendizagem que se balança nos três Tempos que conta. e se o que ficam são sorrisos e só alcanças sorrisos na frente, então não há nada mais a dizer.

bom post linda :) (para não variar ;P)

beijo grandee*

eli said...

esse livro levanta sentimentos "doidos". td vem ao de cima por causa disto ou daquilo. continua a sorrir e a recordar as coisas boas que aprendeste e que te fazem bem.
bjinhos

sancie said...

Yeah, it will :)

Beautiful post,Bee!

************************

Anaoj said...

O que tu queres sei eu...