Friday, May 02, 2008

#30

soubesse eu delimitar as nossas fronteiras. onde é o final um do outro no outro. nem sei apontar o ponto onde nos separamos, porque uma linha tem inúmeros pontos e as linhas que nos diferenciam nunca nos separa(ram). gostava de saber onde sou eu ti, que tu em mim és mais que possa ser explicado. soubesse eu descrever as partes em que és em mim, as partes em que te sinto tão presente. que também eu te namoro de forma ausente. não há ausência que resista. só nós resistimos. resistentes, como nós. soubesse eu situar todos os limites do meu ser em ti, ou do teu em mim. mas não te sei explicar, não. sei-te.

2 comments:

xary said...

lindíssimo, marina. vergílio would be proud ;) gosto. gosto tanto que até irrita o tanto que gosto. :)

e continuem a saberem-se, porque saber é poder.

beijo grande * [ ]

telma said...

descreves o amor como ninguém :') **