Tuesday, June 26, 2007

cenas

o caminho (ainda) é feito a dois. passos pequeninos e ainda incertos os meus. tanta vontade de nós que nem sei para onde me virar. erro meu. erro meu. saudades do que foi. e talvez do que está para vir. das palavras trocadas sobre o que ainda não vivemos, das palavras trocadas sobre o que ainda temos para dar guardo a dúvida. a dúvida da tua parte. que de mim cuido eu. cuido eu de saber que não virás. não vens. não vens. (repito-o vezes sem conta) não vens porque já não é assim que funciona. já não é assim que me tens. tens-me não sei como. mas tens. e já não vens. só porque sim, para não haver dúvidas. não, agora já não vens. (repito repito repito) já o sei de cor. menos a ti. agora. não conheço os teus passos e caminho à toa. com a mera confiança que me saberás guiar. mas caminho para algum lado. e também não dirás. não dirás porque já não. e eu. a acreditar em alguma coisa. por nós. enquanto conseguir. eu. à toa. quando a janela fica aberta e eu de braços tão abertos e de peito tão cheio, que parece transbordar e ficar derramado no chão. que tu parece que não apanhas. eu com tanto em mim, e sem maneira de escoar. um tanto tão grande que chega a parecer errado de se sentir tão sozinho. chega a sentir-se mal de ser. por enquanto sente-se. com esperança de alguma coisa. e desejos de nós. ou qualquer coisa assim. porque agora parece que há palavras que se fazem acompanhar por pontos de interrogação. mas procuro-nos. e encontro-nos e é ai que reside a minha fé em nós. quando sabemos ser nós. e quando mais do que os meus lábios, são os meus olhos que sorriem jutamente com os teus.

2 comments:

xary said...

incansável, ainda existe esse tipo de amor.

enquanto houver uma réstia de qualquer coisa. esperança. confiança. crença. enquanto a mão ainda se estender à tua. e a tua à dele. enquanto existir um nós, seja de que maneira for, segura-se o coração bem perto.

beijo grande * :) [ ]

MalucaResponsavel said...

Fizeste-me quase chorar. por me ler, ao te ler, de certa forma. p esperares, por teres esperança, p descortinares ainda os olhos dele, o q foram, o q n chegaram a ser ainda... faço o mesmo. e hj ao ler-te, de certa forma, li-me a mim. bj